top of page

Arte 1 estreia documentário exclusivo em homenagem ao centenário de José Saramago


crédito: divulgação


O Arte1 exibe nesta quarta-feira (14), às 23h, o documentário José Saramago: 100 Anos de um Contemporâneo. A produção - exclusiva do canal - homenageia o centenário do autor com artistas que refletem sobre a formação e a atualidade da obra do único escritor da língua portuguesa premiado com o Nobel de Literatura.


"Meu pai era serralheiro civil", recorda a filha de Saramago, Violante Saramago Matos, que também seguiu a carreira de escritora. Ela ressaltou ainda a importância da origem e da persistência do pai para moldarem sua visão social e seu sucesso. Este iniciado ao final dos anos 1970, quando ele estava próximo dos 60 anos de idade e decidiu se dedicar apenas à escrita.


Literatura esta que Saramago construiu de forma única, desconsertando até mesmo escritores, como Ignácio de Loyola Brandão (Prêmio Jabuti 2008 e membro da Academia Paulista de Letras) e Andréa del Fuego (Prêmio José Saramago 2011). O autor português reinventou a pontuação e mesclou os discursos direto e indireto de suas personagens, o que foi inaugurado no livro "Levantado do Chão". Lançada em 1980, a obra é fruto do contato direto de José Saramago com camponeses sem-terra da região do Alentejo, em Portugal, de onde o autor importou sua oralidade original e disruptiva.


O engajamento de Saramago fez com que Sebastião Salgado o convidasse, em 1997, para participar de seu livro de fotografias "Terra", que trazia um CD de músicas do cantor e compositor Chico Buarque e teve o prefácio assinado por José Saramago. Em José Saramago: 100 Anos de um Contemporâneo, o fotógrafo brasileiro relembrou as correspondências com o escritor, assim como fez a dramaturga Maria Adelaide Amaral, responsável por adaptar "O Evangelho segundo Jesus Cristo" para o teatro.


Obra fundamental de Saramago, "Ensaio sobre a Cegueira" foi considerada a mais perene e contemporânea pelo escritor moçambicano Mia Couto (Prêmio Camões 2013 e Prêmio Neustadt 2014). Couto reforçou também o papel de vanguarda de Saramago ao realocar positivamente a língua portuguesa na literatura mundial e considerou os livros do autor importantes agentes formadores da sociedade, opinião compartilhada por José Luís Peixoto, o mais jovem escritor vencedor do Prêmio José Saramago.


Estreia: Quarta-feira (14/12), às 23h

Reprises: 16/12, às 6h15; 17/12, às 18h; 18/12 às 7h; 19/12, às 19h; e 20/12, às 13h



0 comentário

Komentarze


bottom of page