top of page

Léo Santana lança hit sobre conscientização da importância do reforço vacinal antes da folia




Depois de conquistar o primeiro lugar do Brasil no Spotify, Deezer e Apple Music, o cantor Léo Santana, acaba de lançar um hit diferente de Carnaval. Fruto de uma parceria da Pfizer Brasil com a Universal Music, o single ‘Reforçadão’ faz parte da campanha #SeVacinarDiretinho, que tem o objetivo de conscientizar a população para a importância do reforço vacinal contra a Covid-19 antes de cair na folia.


“Se Vacinar Direitinho, todo mundo curte o Carnaval! Essa é a mensagem que queremos deixar para todo o Brasil. Nada melhor do que o clima de festa deste momento para falar de um assunto tão importante de uma forma leve, capaz de prender a atenção das pessoas”, afirma o cantor Léo Santana. “Além da música, preparamos um clipe superanimado, com uma coreografia que vai conquistar todo mundo, do camarote à pipoca”, complementa.


A música já está disponível em todas as plataformas de streaming de áudio, enquanto o clipe, gravado na Bahia, pode ser conferido no YouTube. Além disso, o hit vai embalar consagrados blocos de rua, como o Amigo da Onça, no Rio de Janeiro (18/2), e Vou de Táxi, em São Paulo (20/2). Cada um deles vai desfilar com um estandarte personalizado, trazendo mensagens atreladas à campanha: Amigos da Vacinação e Vou de Táxi Reforçado.


O bloco do Rio também conta com um homem-sanduíche envelopado com imagens da campanha no estilo lambe-lambe, para aumentar a visibilidade do tema junto aos foliões. Haverá ainda busdoor para reforçar a mensagem em cidades das regiões Norte e Nordeste, dentre elas, Roraima, que possui uma taxa de 20% da população com o primeiro reforço (terceira dose).1


Nas redes sociais, um time de artistas e influenciadores, entre eles dançarinos do Fit Dance, uma das maiores plataformas on-line de dança do Brasil, já caiu no ritmo de ‘Reforçadão’ para amplificar a mensagem sobre a importância da vacinação completa e, assim, aproveitar a folia com mais tranquilidade.


Cobertura vacinal em baixa


Dados do Ministério da Saúde mostram que o Brasil terminou 2022 com taxas preocupantes de reforço vacinal2, que é indicado pelas autoridades médicas para uma proteção mais efetiva. Quando falamos da faixa etária de 18 a 24 anos a taxa de imunização com a primeiro reforço (terceira dose) fica na casa dos 40%. Já na faixa de 30 a 34 anos fica em 50%. A maioria das pessoas com 40 anos ou mais não tomou o segundo reforço (quarta dose): a taxa é de 27% para faixa de 45 a 49 anos e cai para 25% entre aqueles de 40 e 44 anos.


“É o primeiro ano, desde a pandemia, que o Carnaval volta a ocorrer nos moldes de antes, sem cancelamentos e adiamentos. Mas, para que a gente possa desfrutar dessa alegria de forma plena, é importante lembrar da importância do esquema completo de imunização contra a Covid-19. Diferentes estudos mostram como as doses de reforço induzem anticorpos mais duradouros, aumentando a durabilidade da proteção”, afirma a diretora médica da Pfizer Brasil, Adriana Ribeiro.


0 comentário

コメント


bottom of page