top of page

Museu da Língua Portuguesa promove uma celebração à potência e à diversidade da música brasileira


crédito: Ana Lefaux


Com uma série de atividades nos dias 5 e 6 de maio, o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, promove uma verdadeira celebração à potência e à diversidade da música brasileira. A programação faz parte do Dia Internacional da Língua Portuguesa, comemorado em 5 de maio. O tema principal do evento será Língua e Canção, que permeia boa parte da programação da instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo neste ano. Todas as ações, assim como a entrada ao Museu, serão gratuitas nesses dois dias.


Com curadoria do historiador e músico Cacá Machado, o Dia Internacional da Língua Portuguesa 2023 vai abordar a variedade da língua portuguesa e do cancioneiro do país, que se manifesta por meio de diferentes gêneros musicais. Pois, se tem uma gente, um povo, que se revela por meio da música, é o brasileiro.


"O Dia da Língua do Museu da Língua Portuguesa se organizará em dois eixos temáticos/poéticos: ‘Cio da terra: sonoridades da língua e da canção’ e ‘Máquina de ritmo: a misturada geral sob o signo do suingue’. O ‘Cio da terra’ abarca a vocação da língua portuguesa (e brasileira em particular) em transformar tudo em canção: religião, trabalho, jogos, afetos. Tradição oral do litoral e do sertão. Tradição lírica. Cantos vindos pelo mar: Portugal, África, Brasil. Nossos cantos das terras. Já o ‘Máquina de ritmo’ é o reconhecimento do ritmo brasileiro (importado, recriado e exportado) como força motriz de uma tradição poderosa de dicção da língua e da canção brasileira. Do samba ao rap, passando pelo coco, pela embolada, pelo funk e outros sacolejos”, afirma Machado.


Na programação, a MPB se fará presente em um show de voz e violão de Chico César. A influência africana no português e a lusofonia aparecem em conversa entre o sociólogo brasileiro Mário Medeiros, a professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo Rita Chaves e a escritora portuguesa Djaimilia Pereira de Almeida, que, virtualmente, lerá trechos de seus romances.

A atriz Luah Guimarães, a percussionista Victória dos Santos, o diretor Vadim Nikitin e o compositor e curador da programação, Cacá Machado, farão uma performance remixando literatura e canções da língua portuguesa. Já o tradicional Samba da Vela aporta no Saguão Central da Estação da Luz.


A música caipira também é lembrada em trabalho de Suzana Salles e Lenine Santos, que recebem o instrumentista Webster Santos. O funk é destaque na participação de Meno del Picchia, MC Lanzinho, MC Tizzi e Batata Boy. Ritmos originários do Norte e Nordeste do país, como coco, ganham espaço com Caçapa, Lirinha e os cantadores de embolada Antônio Caju e Rouxinol Pereira. Contos e cantos indígenas estarão em performance com Denilson Baniwa, Lilly Baniwa e Andrea Duarte.


Para fechar a programação, Xis e KL Jay realizam o Papo da Quebrada, uma aula-show em que falarão sobre o rap com uma discotecagem ao vivo. A mediação será da jornalista Gisele Coutinho.


Enquanto essas atividades estiverem acontecendo, será exibido, em looping, no miniauditório do Museu, o documentário "Nelson Cavaquinho” (1969), dirigido por Leon Hirszman.


“Pensei a programação em três camadas. Uma primeira são as rodas de conversas, que chamamos aqui de ‘Conversas de botequim’. Serão dois encontros, um sobre a língua portuguesa viva na literatura negra contemporânea (Portugal-África-Brasil) e outro sobre a língua brasileira nordestina. Outra camada são os shows: da música caipira ao funk de São Paulo, passando pelo rap e emboladas. Por fim, duas performances acontecerão junto ao público do Museu, trazendo as línguas dos povos originários e um remix da literatura e de canções da língua portuguesa. Enfim, o público terá uma ampla amostra da língua portuguesa contemporânea”, finaliza o curador.


Confira a programação completa:


5 DE MAIO

11h - Performance Antes do Tempo Existir No Pátio A e na Rua da Língua

O artista visual Denilson Baniwa, a atriz Lilly Baniwa e a diretora Andrea Duarte se valem de memórias longínquas dos povos originários na apresentação de uma performance em que real e ficção se mesclam para questionar a lógica de produtividade da sociedade contemporânea.

Grátis (com necessidade de retirada de ingressos para entrar no Museu)


13h - Show Samba da Vela No Saguão Central da Estação da Luz

O tradicional Samba da Vela, com a presença de 13 integrantes, apresenta clássicos do gênero, além de canções de novos compositores e autorais, nesta apresentação no Saguão Central da Estação da Luz. O show tem hora para começar, às 13h, e só vai acabar quando a vela acesa para a ocasião se apagar.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


16h - Conversa de botequim Língua Preta Lusoafrobrasileira No Auditório e pelo YouTube do Museu da Língua Portuguesa (com libras)

A influência da língua africana no português e lusofonia são os temas desta conversa que vai reunir, presencialmente, o sociólogo brasileiro Mário Medeiros e a professora de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo Rita Chaves, e, virtualmente, a escritora portuguesa Djaimilia Pereira de Almeida – ela lerá trechos de alguns de seus livros.

Grátis (com necessidade de retirada de ingressos para entrar no Museu – quem já estiver no Museu terá entrada livre para este evento)


17h - Show Caipira No Pátio B

A cantora Suzana Salles e o tenor Lenine Santos convidam o multi-instrumentista Webster Santos para realizar uma releitura de clássicos da música caipira, como “Boi Soberano”, “Beijinho Doce” e “Índia”, tendo como referências artistas fundamentais para este gênero da música brasileira, como Cascatinha e Inhana, Angelino de Oliveira, Tião Carreiro e Pardinho e João Pacífico.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


19h - Show Chico César, voz e violão No Auditório e na Praça da Língua

Nesta apresentação de voz e violão especial para o Museu, Chico César celebra a língua portuguesa em suas canções. Algumas delas, como “Mama África”, “À Primeira Vista” e “Pensar em Você”, viraram hits e fizeram o cantor e compositor paraibano ser conhecido em todo o Brasil.

Grátis (retirada de ingressos a partir das 17h - dois por pessoa - na bilheteria do portão A. Sujeito a lotação)


9h às 18h - Documentário Nelson Cavaquinho No miniauditório

Dirigido por Leon Hirszman, este filme, lançado em 1969, acompanha o dia a dia do sambista Nelson Cavaquinho, autor de músicas como “Juízo Final” (com Élcio Soares), “A Flor e o Espinho” (com Guilherme de Brito e Alcides Caminha) e “Folhas Secas” (com Guilherme de Brito).

Grátis (com necessidade de retirada de ingresso para entrar no Museu)

6 DE MAIO 11h - Performance Já passou de português No Pátio A e em diversos espaços do Museu da Língua Portuguesa

A atriz Luah Guimarães, a percussionista Victória dos Santos, o diretor Vadim Nikitin e o compositor Cacá Machado reúnem literatura e canções da língua portuguesa em performance que passará por diversos espaços do Museu da Língua Portuguesa. A ideia é mostrar as relações entre a língua escrita e a musicalidade em nosso idioma.

Grátis (com necessidade de retirada de ingressos para entrar no Museu)


13h - Show Fluxo do Funk No Saguão Central da Estação da Luz

O músico e pesquisador Meno del Picchia faz um apanhado do funk paulista, marcado pela ostentação em suas letras, entre outros estilos. Neste show, ele recebe como convidados MC Lanzinho, MC Tizzi e Batata Boy, representantes da nova geração do funk.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


15h - Conversa de botequim: Do Nordeste brasileiro No Pátio B

A influência da língua e canção nordestinas na formação da cultura brasileira é o tema da roda de conversa Do Nordeste brasileiro. Lirinha, ex-Cordel do Fogo Encantado, e os cantadores de embolada Antônio Caju e Rouxinol Pereira participam do encontro, que terá mediação do compositor e produtor musical Caçapa.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


16h - Show Do Nordeste brasileiro No Pátio B

Logo após a roda de conversa, Lirinha, Caçapa, Antônio Caju e Rouxinol Pereira colocam em prática o que falaram no debate realizado no Dia Internacional da Língua Portuguesa do Museu. No repertório, eles cantam e tocam emboladas, cocos e repentes.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


18h – Papo da Quebrada: aula-show com Xis e KL Jay No Pátio B

Os rappers Xis, autor do sucesso “Us Mano e As Mina”, e KJ Jay, DJ do grupo Racionais MC’s, vão promover uma aula-show sobre o rap e ainda apresentar alguns clássicos do gênero por meio de uma discotecagem ao vivo. A mediação será da jornalista Gisele Coutinho.

Grátis (sem necessidade de retirada de ingressos)


9h às 18h - Documentário Nelson Cavaquinho No miniauditório

Dirigido por Leon Hirszman, este filme, lançado em 1969, acompanha o dia a dia do sambista Nelson Cavaquinho, autor de músicas como “Juízo Final” (com Élcio Soares), “A Flor e o Espinho” (com Guilherme de Brito e Alcides Caminha) e “Folhas Secas” (com Guilherme de Brito).

Grátis (com necessidade de retirada de ingressos para entrar no Museu)

ATENÇÃO: INGRESSO PARA O SHOW DO CHICO CÉSAR A entrada ao Museu da Língua Portuguesa não garante acesso ao show do cantor Chico César. Para prestigiar este evento, é preciso retirar ingressos – dois por pessoa – a partir das 17h, no dia 5 de maio (sexta-feira), na bilheteria do Pátio A, inclusive quem já está dentro do Museu. Sujeito a lotação.


Serviço: Museu da Língua Portuguesa De terça a domingo, das 9h às 16h30 (permanência até 18h) R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) Grátis nos dias 5 e 6 de maio Grátis para crianças até 7 anos Grátis aos sábados Acesso pelo Portão A Venda de ingressos na bilheteria e pela internet: https://bileto.sympla.com.br/event/68203 www.museudalinguaportuguesa.org.br

0 comentário

Comments


bottom of page