top of page

Se não é no futebol, é na bocha paralímpica: Brasil se vinga da Croácia e fatura ouro


crédito: Dantas Júnior / Ande / Divulgação


Na última sexta-feira (09), a seleção brasileira se despediu da Copa do Mundo do Catar, após perder nos pênaltis para a Croácia. Porém, enquanto a ficha dos jogadores comandados por Tite ainda não tinha caído, uma outra brasileira já "se vingava" dos croatas. No entanto, não foi no futebol, mas em outro esporte bastante peculiar, a bocha paralímpica.


A bola da vez é a pernambucana Andreza Vitória, de 21 anos, que derrotou a croata Dora Basic por 3 a 1 e conquistou a medalha de ouro, sagrando-se a mais nova campeã mundial da categoria classe BC1 feminina (que podem jogar com as mãos ou com os pés e que contam com a opção de um auxiliar). A final foi realizada na tarde do último sábado (10) na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro.


Com este título mundial, o Brasil chegou à sua oitava medalha conquistada na história da competição. Agora, são três ouros, três pratas e dois bronzes, conquistados em três edições – Lisboa 2010, Pequim 2014 e Rio 2022.


Andreza, diagnosticada com a Síndrome de Leigh (ou Doença de Leigh), uma doença neurodegenerativa hereditária rara que afeta o sistema nervoso central, era uma das atletas estreantes na competição, apesar de já ter experiência internacional com participações nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e na Copa América de bocha, no ano passado.


"Eu tinha falado, desde o início, que queria o ouro. [Essa conquista] Vai para a Poliana [Cruz, auxiliar], minha 'mãe'. É muita emoção. É campeã" afirmou Andreza, na saída da quadra


No mesmo dia, o Brasil participou de mais duas disputas de medalhas de bronze, porém, foi derrotado em ambas. Também pela classe BC1, o paulista José Carlos Chagas perdeu por 9 a 0 para o português André Ramos e ficou em quarto lugar.


O mineiro Mateus Carvalho também obteve o mesmo resultado na classe BC3 (para atletas com deficiências severas e que podem usar calha e ter auxílio de outra pessoa). Pela manhã, foi superado nas semifinais pelo português José Gonçalves por 3 a 2 e, à tarde, sofreu novo revés. Desta vez, para o tcheco Adam Peska por 5 a 3 e também encerrou a disputa individual na quarta colocação.


A principal competição da bocha do ciclo Paris 2024 reúne mais de 170 atletas de 40 países em disputas individuais, por pares e equipes. As partidas têm sido realizadas no mesmo palco dos Jogos Paralímpicos de 2016 e vão até o próximo dia 13. A entrada é gratuita ao público.


As disputas por equipes BC1/BC2, além por pares BC3 e BC4 começaram ontem (11). As partidas têm sido transmitidas ao vivo pelo Youtube da Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE), organizadora do evento.


0 comentário

Comments


bottom of page