top of page

Turismo de natureza cria experiências autênticas e inovadoras para atender novo perfil de viajantes

Atualizado: 31 de dez. de 2022


Foto: Divulgação Vivalá


A busca por experiências autênticas, atividades ao ar livre e maior contato com a natureza estão entre as expectativas de grande parte dos turistas e uma das principais tendências do turismo nos próximos anos. Mais do que isso, as pessoas querem conhecer locais singulares, por sua beleza natural e visitar projetos que contribuem com o desenvolvimento social e econômico local. Tudo isso ao mesmo tempo que promovem a conservação do meio ambiente e da biodiversidade. No Brasil, já existem uma série de startups e agências turísticas que buscam atender à demanda desse viajante cada vez mais consciente.


De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua para turismo, do IBGE, a procura por viagens domésticas para a prática do ecoturismo, turismo de natureza ou turismo de aventura aumentou de 20,5% para 25,6% mesmo durante a pandemia de Covid-19, comparando os anos de 2020 e 2021.


Segundo Emerson Oliveira, gerente de Conservação da Natureza da Fundação Grupo Boticário - uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira - a sociedade está cada vez mais engajada em causas sustentáveis e de preservação à natureza. "Temos acompanhado a sociedade cada vez mais atenta e preocupada em unir bem-estar, turismo em áreas naturais e preservação da natureza. O turista contemporâneo e responsável respeita o destino para o qual viaja, com o objetivo de deixar um legado positivo ali. Com isso, propostas de roteiros e experiências que caminham nesse sentido, fortalecendo as comunidades locais, têm atraído o interesse de mais viajantes”, conta.


A Fundação Grupo Boticário separou e endossou algumas opções de iniciativas que fomentam o turismo verde e contribuem diretamente para uma maior consciência sobre a preservação da natureza. Confira abaixo:


A startup brasileira Vivalá surgiu para proporcionar experiências de conexão profunda com a natureza e o turismo de base comunitária e, ao mesmo tempo, gerar oportunidades de desenvolvimento para comunidades tradicionais do País.


No site é possível encontrar um calendário de expedições para diversos destinos em unidades de conservação brasileiras, como a Chapada dos Veadeiros, Lençóis Maranhenses, entre outros, tendo uma imersão na natureza e cultura local.


As expedições têm datas marcadas, com três pacotes de ano novo em diferentes lugares da Amazônia, por exemplo, incluindo até hospedagem em aldeia indígena. Muitos destinos possuem a opção Flex, onde se pode baixar o roteiro e conversar com um especialista para encontrar a melhor data disponível.


O eTrilhas é uma plataforma digital que permite o fortalecimento de áreas naturais e conecta gestores de unidades de conservação, turistas e empreendedores locais, potencializando o turismo sustentável.


A plataforma conta com trilhas mapeadas em vários estados do País, com diversas quilometragens. A ferramenta traz uma aba de trilhas de longo curso, com caminhos como das Ararunas, na região serrana da Paraíba, que percorre 110 quilômetros dentro do bioma Caatinga. Cada trilha é muito bem detalhada na plataforma, contando com orientações de distância, desníveis, altitude, nível de dificuldade do percurso e até as atrações do caminho.


O parque ecológico Ekôa Park, localizado em Morretes (PR), é uma opção de experiências imersivas de turismo ecológico, com trilhas interativas e atividades de aventura, como tirolesa, arvorismo, bolha humana e balão. Abriga o primeiro Centro de Informações da Grande Reserva Mata Atlântica - o maior remanescente contínuo do bioma no mundo -, que orienta os visitantes para as atividades de turismo sustentável disponíveis na região. O parque está localizado no quilômetro 18,5 da Estrada da Graciosa (por si só uma atração) e é aberto para visitação, mediante reserva antecipada, de quinta a domingo e feriados, das 9 às 17 horas.


Quem gosta de observar aves, não pode deixar de conhecer esse projeto que busca a convergência entre atividades de ecoturismo e as ações de conservação no Arquipélago de Fernando de Noronha (PE). Realizado pelo Instituto Espaço Silvestre, tem a intenção de preservar a maior diversidade de espécies de aves marinhas do Brasil, além de estimular a economia local, a ciência, a comunicação e o engajamento social.


Uma das atividades desenvolvidas pelo projeto, chamada “Vem passarinhar”, é a observação de aves no mirante dos golfinhos, na Praia do Sancho, para promover a conexão das pessoas com a natureza. A atividade é gratuita e aberta a todos os públicos, com disponibilização de binóculos e mini guia de observação de aves.


Outras atividades de observação de aves são realizadas pelo projeto e em breve novos roteiros serão lançados.


Projeto pioneiro que desenvolveu tecnologia inédita no Brasil para cultivar corais a partir de seus fragmentos e, assim, restaurar áreas e preservar espécies da extinção, proporcionando para os turistas um verdadeiro aprendizado e uma imersão no ambiente marinho, com opção de flutuação com snorkel, mergulho com cilindro na região recifal de Porto de Galinhas (PE) e nos berçários de corais ou velejo de jangada.


As experiências precisam ser agendadas pelo site, onde também é possível adotar um coral e acompanhar seu crescimento, ajudando assim na restauração dos corais brasileiros e na manutenção do programa. Mais informações em https://biofabricadecorais.com/.


Com 32 anos de história, a Fundação Grupo Boticário é uma das principais fundações empresariais do Brasil que atuam para proteger a natureza brasileira. A instituição atua para que a conservação da biodiversidade seja priorizada nos negócios e em políticas públicas e apoia ações que aproximem diferentes atores e mecanismos em busca de soluções para os principais desafios ambientais, sociais e econômicos.


Já apoiou cerca de 1.600 iniciativas em todos os biomas no país. Protege duas áreas de Mata Atlântica e Cerrado – os biomas mais ameaçados do Brasil –, somando 11 mil hectares, o equivalente a 70 Parques do Ibirapuera. Com mais de 1,2 milhão de seguidores nas redes sociais, busca também aproximar a natureza do cotidiano das pessoas. A Fundação é fruto da inspiração de Miguel Krigsner, fundador de O Boticário e atual presidente do Conselho de Administração do Grupo Boticário. A instituição foi criada em 1990, dois anos antes da Rio-92 ou Cúpula da Terra, evento que foi um marco para a conservação ambiental mundial.



Commentaires


bottom of page